quinta-feira, 10 de maio de 2012

O Bem-te-vi


Todas as manhãs começamos com intercessão. Todos os dias um motivo diferente de oração. Hoje nosso motivo de oração era pelos bebês que ainda não nasceram. Um dos missionários que trabalha aqui no centro comunitário, que estava liderando esse tempo, começou a compartilhar algumas histórias. Ele tem um grupo para viciados em drogas, álcool e moradores de rua. Tem duas mulheres que frequentavam o grupo dele que estavam grávidas. Ele nos disse que por mais que essas mulheres quisessem muito ser mãe e cuidar dos seus bebês, não conseguiam parar de usar crack e álcool. Eventualmente essas duas mulheres acabaram perdendo seus bebês. Uma delas entrou em depressão profunda e não queria mais sair da cama. Ontem ela veio aqui e participou de um curso. Ela até sorriu e se divertiu um pouco, apesar de três minutos depois de ter chegado aqui, já queria ir embora. Uma das alunas da FDC que viu essa mulher comentou que viu tanta tristeza no olhar dela que nem sabia o que fazer.

Enquanto estávamos no nosso grupo de oração, pensando e clamando a Deus por essas mulheres e tantas outras que ainda estão grávidas mãs não conseguem se livrar do seu vício, por esses bebês que ainda não nasceram, mas já tem tantos problemas, um Bem-te-vi, no topo de uma árvore cantava em alto e bom som, sem parar. Um lindo Bem-te-vi no topo de uma árvore verde contra o céu azul estufando seu peito e cantando o mais alto que podia. Isso me trouxe esperança. Beleza no meio da feiura. Esperança no meio do caos e do sofrimento. Existe um Deus.
Existe um Deus que olha para essas pessoas. Existem um Deus que conhece as suas histórias e até mesmo os bebês em formação dentro da barriga dessas mulheres.

Às vezes é muito fácil de perder a esperança quando se começa um dia com histórias assim, mas sempre haverá um Bem-te-vi cantando sem parar. Sempre haverá esperança, pois sabemos que existe um Deus!