domingo, 23 de agosto de 2009

23 de agosto - Dia da Injustiça


É interessante que o dia de hoje é o dia da Injustiça, não é o dia da Justiça, nem o dia da Luta contra a Injustiça, mas somente o dia da Injustiça. É legal pensarmos nisso em uma época em que há tanta injustiça e tanta desigualdade. Ainda hoje o Brasil é um dos paises com maior desigualdade social, e mesmo com a pouca melhora recente por causa de programas como o "Bolsa Familia", não podemos falar de forma alguma de melhora, mas sim de uma criação de dependência das classes mais desfavorecidas para com o governo. Já que ainda hoje no Brasil o salário minimo é uma miséria, ainda hoje a educação pública é ridicula e ainda hoje tem aposentados passando fome com o pouco dinheiro que recebem. Não quero pregar o socialismo, mas sim os salários dignos, a valorização das crianças e dos idosos e um sistema de saúde em que todos tenham o atendimento necessário.


Enquanto isso, nós, como cristãos, pregamos que o nosso Deus é justo, e que Ele fará justiça. Mas nós, enquanto corpo de Cristo, nada fazemos para que haja justiça, no Brasil e/ou no mundo. A igreja vive fechada dentro de si mesmo e se preocupa apenas com o próprio umbigo. Enquanto Jesus pregava o amor ao próximo, nós reduzimos isso ao que está sentado próximo de nós na igreja, e somente quando o pastor fala para "virarmos para o irmão ao nosso lado e dizer: Eu te amo em Cristo Jesus." O amor cristão, ou a caridade, como diz a minha versão da Bíblia nada tem a ver com palavras, mas sim com atitudes. De que adianta eu falar que amo as pessoas e não dou a minima para situação em que vivem? Como posso amar alguém se não luto contra a injustiça que é feita contra aquela pessoa?


Como cristãos adquirimos o péssimo hábito de pensar apenas no céu, no porvir, mas a Bíblia tem referências de mais a justiça para que possamos ignorá-la nos nossos dias. A Bíblia sempre pregou a ajuda aos pobres e isso não é só questão de dar esmola não. Aliás, um dia me contaram que nos templos bíblicos, em Israel, os mendigos não pediam simplesmente esmolas. Eles pediam por tsedaqah ( צדקה ts ̂edaqah ) que significa JUSTIÇA. Um mendigo não pedia por dinheiro, mas pedia por justiça, por aquilo que de acordo com a Torá ele devia receber. Para que os seguidores do judaísmo e posteriormente também do cristianismo, lutassem por condições justas de vida para todos. Nós não podemos nos anestesiar para a situação das pessoas, e devemos lutar por justiça, sempre.


Hoje é dia da Injustiça. Será que um dia poderemos cancelar esse dia, e chamá-lo de dia da justiça?


Hoje é dia da Injustiça. E você, o que fará com isso?
Uma música para refletirmos durante esse dia
Em nome da Justiça - João Alexandre
Enquanto a violência acabar com o povão da baixada
E quem sabe tudo disser que não sabe de nada
Enquanto os salários morrerem de velho nas filas
E os homens banirem as leis ao invés de cumpri-las
Enquanto a doença tomar o lugar da saúde
E quem prometeu ser do povo mudar de atitude
Enquanto os bilhetes correrem debaixo da mesa
E a honra dos nobres ceder seu lugar à esperteza.
Não tem jeito não.
Só com muito amor a gente muda esse país
Só o amor de Deus pra nossa gente ser feliz
Nós os filhos Seus temos que unir as nossas mãos
Em nome da justiça, por obras de justiça
Quem conhece a Deus não pode ouvir e se calar
Tem que ser profeta e sua bandeira levantar
Transformar o mundo é uma questão de compromisso
É muito mais e tudo isso.
Enquanto o domingo ainda for nosso dia sagrado
E em Nome de Deus se deixar os feridos de lado
Enquanto o pecado ainda for tão somente um pecado
Vivido, sentido, embutido, espremido e pensado
Enquanto se canta e se dança de olhos fechados
Tem gente morrendo de fome por todos os lados
O Deus que se canta nem sempre é o Deus que se vive, não
Pois Deus se revela, se envolve, resolve e revive
Não tem jeito não, não tem jeito não.
Se quiser ouvir tem aqui: